Info

75 mil idosos perdem o Complemento Solidário para Idosos

75 mil idosos perdem o Complemento Solidário para Idosos
| Economia
Porto Canal (SYA)

Desde 2011, o número de beneficiários do Complemento Solidário para Idosos (CSI) diminuiu um terço, o que equivale a cerca de 75 mil beneficiários, no entanto, a pobreza nessa classe população aumentou.

Entre dezembro de 2011 e setembro de 2016, o CSI perder um terço dos seus beneficiários, o que equivale a cerca de 75 mil idosos. No final de 2011 o número de beneficiários era de 235 726, enquanto que em 2015 era apenas de 165 982.

Os pedidos indeferidos para ter direito ao CSI entre 2013 e 2015 foram 23 889.

No entanto, a pobreza nesta classe da população aumentou de 14,5% para 17%. Em 2015, eram 360 mil o número de idosos a viver abaixo do limiar da pobreza.

Apesar de se prever um aumento no número de beneficiários em 2017 face a 2016, o valor ainda se encontra distante de 2011.

Nas próximas semanas, o Governo lança uma campanha de divulgação acerca do Complemento Solidário para Idosos. Esta campanha consiste no envio de cartas para todos os idosos, os que usufruem do Complementos, os idosos a quem o mesmo foi retira e os que viram o pedido indeferido, o que equivale a cerca de 146 mil idosos.

Nesta campanha existe ainda um parte dedicada a campanha publicitária nos media e a GNR vai ajudar na divulgação nas zonas mais rurais.

Para usufruir do CSI, os idosos devem ter mais de 66 anos e três meses, ser pensionistas ou receber um subsidio mensal vitalício e ter rendimento inferior ao valor de referência da prestação.

Os grandes picos na descida do número de beneficiários foi no final de 2014 e outro por volta de 2014. As razões estão relacionadas com alterações legislativas, que existiram em janeiro de 2013, e a falta de informação. Junto a isto, a diminuição também pode ser explicada pelo grande número de idosos que vivem com um valor muito próximo do valor da linha de pobreza.

O facto dos rendimentos dos filhos serem tido em conta para que os idosos beneficiem do CSI é razão de contestação, nomeadamente pelo BE e pelo PCP.

+ notícias: Economia

Banco de Portugal piora projeções de crescimento e espera que PIB avance 2,1% em 2018

O Banco de Portugal (BdP) piorou hoje as projeções de crescimento de Portugal, esperando que o PIB aumente 2,1% este ano e 1,8% no próximo, desacelerando progressivamente o ritmo de crescimento até aos 1,6% em 2021.

Portugal teve saldo migratório positivo em 2017 pela primeira vez em sete anos

Portugal teve um saldo migratório positivo em 2017, pela primeira vez em sete anos, com mais de 36 mil imigrantes a ultrapassarem as quase 32 mil pessoas que deixaram o país, revelou hoje o Observatório das Migrações.

Preço da luz desce 3,5% em mercado regulado em 2019 para as famílias

As tarifas de eletricidade no mercado regulado vão descer 3,5% para os consumidores domésticos a partir de 01 de janeiro, anunciou hoje a Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE).

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.