Jornal Diário Jornal das 13

Rui Moreira garante legalidade de processo da Selminho e critica "política mesquinha"

| Política
Porto Canal com Lusa

O presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, garantiu hoje, em reunião pública do executivo, o cumprimento da lei em todo o processo da Selminho, uma imobiliária da família do autarca com quem o município fez um acordo judicial.

"Não trouxe à Câmara este assunto porque não devia e não podia. Fazê-lo seria participar politicamente num assunto que é técnico e é jurídico", afirmou o autarca independente, vincando estar perante um "não assunto e não crime".

Numa declaração lida na reunião camarária, Rui Moreira criticou ainda o "desrespeito pelos princípios legais e éticos" usados como "arma dos que tentam fazer política mesquinha e insidiosa" sobre o assunto.

Também o diretor municipal dos Serviços Jurídicos, Correia de Matos, garantiu, numa declaração escrita distribuída aos jornalistas, que "não foi praticada qualquer ilegalidade por Rui Moreira", nomeadamente ao ter subscrito uma procuração "conferindo poderes especiais ao advogado o município".

A Lusa divulgou no sábado que o acordo entre a Câmara do Porto e a Selminho foi negociado por representantes diretos do presidente da autarquia, que acordaram o esboço mais tarde assinado pelos procuradores da vice-presidente, Guilhermina Rego.

Na reunião camarária de hoje, Moreira revelou que assinou a procuração "por indicação do então chefe de gabinete, Azeredo Lopes, ilustre jurista".

O autarca deixou mais esclarecimentos para o diretor municipal dos serviços jurídicos, Correia de Matos, que, numa informação escrita, revelou que o advogado a quem foi passada a procuração a entregou "em mão no Tribunal", "sem ter ficado, por lapso, com a respetiva cópia para juntar ao processo físico existente nos serviços da câmara".

Correia de Matos acrescentou que, "para além de permitir que a Câmara fosse considerada presente" numa diligência, "a procuração não teve qualquer outro efeito".

"O único ato processual praticado com base nesta procuração foi a simples participação do advogado da Câmara na audiência prévia", notou.

+ notícias: Política

Marcelo Rebelo de Sousa diz que "seria estranho" era ausência de protestos a um mês do Orçamento

O Presidente da República considerou hoje naturais protestos como os dos taxistas e dos enfermeiros, dizendo que "o que seria estranho" era que vários setores não se manifestassem a um mês da apresentação do Orçamento do Estado.

Conselho de Ministros aprovou mais quatro diplomas setoriais da descentralização

O Conselho de Ministros aprovou hoje mais quatro diplomas setoriais da transferência de competências para autarquias e entidades intermunicipais, nas áreas da proteção civil, proteção e saúde animal e segurança dos alimentos, habitação e estruturas de atendimento ao cidadão.

Direção-Geral da Educação retira das escolas questionário com perguntas discriminatórias

A Direção-Geral da Educação já mandou retirar das escolas o inquérito considerado racista que foi distribuído em pelo menos duas escolas do Porto. Em causa está um questionário com perguntas discriminatórias, referentes à ascendência dos alunos.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS

Olá Maria!

Trend(i) - diferentes tipos de bolsas...

N'Agenda

Exposição 'Amor com amor...