Incêndio Chaves: "Estes indícios fazem-nos naturalmente suspeitar, de forma muito intensa, de que estaremos em presença de intencionalidade"

| Porto Canal

Nuno Vaz, presidente da Câmara Municipal de Chaves, acredita que tenha havido mão criminosa no incêndio que ameaçou aldeias e arrasou culturas que começou com "três ignições feitas em simultâneo com um afastamento entre elas de 500 metros e é pouco crível que em resultado em qualquer circunstância, um facto natural ou negligência de um comportamento humano". E sublinha que "estes indícios fazem-nos naturalmente suspeitar, de forma muito intensa, de que estaremos em presença de intencionalidade".

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.