"O Chega é uma espécie de coronavírus da política"

| Porto Canal

Miguel Alves, autarca de Caminha, diz que "o Chega é uma espécie de coronavírus da política, em primeiro lugar porque debaixo de uma coroa esconde um núcleo que é fascizante, xenófobo, racista e violento em muitas matérias, até criminoso (..) que tem uma amálgama de perigo para a democracia" e acrescenta ainda que "em segundo lugar, (o Chega) é silencioso como o coronavirus, e em terceiro lugar é contagioso e de facto passa de pessoa para pessoa e é aqui que temos de travar este partido".

O autarca de Caminha refere também que não tem dúvida de que "embora na essência as ideias defendidas por André Ventura e pelo Chega tenham conteúdo fascizante, outras só são estúpidas ou outras são um retrocesso civilizacional, a verdade é que a maior parte das pessoas que dizem que votarão Chega não são fascistas".

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.